segunda-feira, 30 de abril de 2012

Dia internacional do jazz

O jazz é uma expressão musical que pode «derrubar barreiras e simbolizar a paz e a unidade», defende a UNESCO na proclamação do Dia Internacional do Jazz, que se assinala pela primeira vez esta segunda-feira.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura decretou 30 de abril como o Dia Internacional do Jazz por proposta do músico e compositor Herbie Hancock, embaixador da boa vontade da UNESCO.

Na mensagem oficial deste dia, a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, sublinhou que o jazz foi e continua a ser «a força que promove uma transformação social positiva».

«Por ter as suas raízes na escravatura, esta música fez crescer uma voz apaixonada contra todas as formas de opressão. Fala a linguagem da liberdade que é compreendida por todas as culturas. São também estes os objetivos que guiam a UNESCO nos seus esforços de construir pontes dialogantes entre todas as culturas e sociedades», afirmou Irina Bokova.

O jazz é uma das expressões musicais nativas dos Estados Unidos, praticada inicialmente pela comunidade afro-americana no século XIX, descendente das vagas de escravos que aportaram nos EUA vindas de África, tendo-se popularizado nas primeiras décadas do século seguinte.

Apesar das celebrações serem oficialmente na segunda-feira, esta sexta-ferira em Paris realizam-se várias iniciativas nas quais participarão, por exemplo, Herbie Hancock, Barbara Hendricks e Wynton Marsalis.

Na segunda-feira, Herbie Hancock dará um concerto em Nova Orleães, cidade que é considerada um dos berços do jazz. Na sede das Nações Unidas estarão Dee Dee Bridgewater, Diane Reeves, Esperanza Spalding, Angelique Kidjo, entre outros.

Em Portugal haverá várias iniciativas para assinalar o primeiro Dia Internacional do Jazz. Na segunda-feira, no Centro Nacional de Cultura (CNC), em Lisboa, decorrerá um encontro com o investigador João Moreira dos Santos, o presidente do CNC, Guilherme D'Oliveira Martins, o músico António Barros Veloso e o diretor da estação de rádio Antena 2, João Almeida.

O Hot Clube de Portugal estende-se à Praça da Alegria e propõe uma maratona de jazz que começará às 13h00 com os alunos da Escola de Jazz Luiz Villas-Boas.

Às 18h00, o antigo contrabaixista e diretor do Hot Clube de Portugal Bernardo Moreira dará uma aula aberta sob o tema «As memórias da Praça da Alegria».

A partir das 22h00 haverá atuações ininterruptas no mais antigo clube de jazz português com as participações dos irmãos João e Pedro Moreira, Mariana Norton, Paula Oliveira, Filipe Melo, Marta Hugon, entre outros.

Em Coimbra, o Jazz ao Centro Clube assinala a efeméride e os seus nove anos de existência, com a apresentação do programa do décimo Festival do Jazz ao Centro - Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra.

Mais a sul, em Faro, o destaque vai para a atuação da Andalucia Big Band, dirigida por Zé Eduardo, com Maria João, Mário Laginha, Viviane, Paulo Gomes, Fátima Serro, João Frade e o coletivo Fried Neuronium.

Nos claustros do Museu Municipal de Faro o radialista e especialista em jazz José Duarte participará no encontro «Conversas Improvisadas».

Sem comentários:

Loading...